-

Aba 1

Postado em 17 de Maio de 2019 às 10h52

Regras para prorrogação do auxílio-doença

Muitos brasileiros, amparados pelo auxílio doença, não se recuperam totalmente e precisam solicitar a prorrogação do benefício. O trabalhador que esteja incapacitado de exercer normalmente suas atividades, seja por causa de doença ou acidente de trabalho, poderá solicitar junto à Previdência Social o auxílio doença. Para receber este benefício, o segurado do INSS deve comprovar, por meio de perícia médica que está temporariamente incapacitado para o trabalho.

O requerimento de prorrogação deve ser solicitado pelo menos 15 dias antes do fim do auxílio doença, vale destacar que o segurado continua recebendo o auxílio doença, até que a nova perícia médica seja realizada. Pela internet, o segurado pode fazer o pedido de prorrogação do auxílio doença, e marcar também a data da nova perícia médica. Este serviço é disponibilizado pelo DataPrev no site oficial da Previdência Social.

No dia em que o segurado for realizar a perícia médica, ele deverá levar os seguintes documentos:

* Carteira de Identidade, que permita a identificação do paciente;
* Número do CPF;
* Atestado médico, exames, relatórios e demais documentos que comprovem o problema, e que apresentem dados atualizados sobre seu quadro de saúde.

O segurado, impossibilitado de comparecer ao local da perícia no dia marcado, pode solicitar que um representante legal compareça a uma unidade do INSS para remarcar a perícia. Para isso, no entanto, é necessário comprovar alguma impossibilidade, como internação hospitalar ou problemas de locomoção, a mesma só pode ser remarcada uma única vez.

Desde de novembro de 2017, os segurados do INSS podem contar com o serviço de prorrogação automática do auxílio doença, sem agendamento. Isso só ocorre, por sua vez, quando o tempo de espera para uma nova perícia médica ultrapassa um mês, se o tempo de espera para ser avaliado por um médico do INSS não passar de 30 dias, é necessário o agendamento.

Assim que o segurado se sentir apto, ele pode retornar ao trabalho normalmente, sem a necessidade de passar pela avaliação de um perito do INSS. É fundamental, no entanto, solicitar a cessação do auxílio doença em uma das agências da Previdência Social.

Fonte: Jornal Contábil.

Veja também

Crime de apropriação indébita - A pena é de 2 (dois) a 5 (cinco) anos de reclusão e multa11/10/18 Descontos efetuados pelo empregador x Apropriação indébita Apropriação Indébita é o ato de recolher do contribuinte os valores devidos, sem que haja o repasse nos prazos legais ou convencionais aos órgãos competentes tais como: Previdência Social, Receita Federal e Associações Sindicais. Simplificando, é o fato de reter o......
eSocial: RFB divulga instruções para emissão de Darf Avulso21/12/18 A Receita Federal informa que, nos períodos de apurações mensais, as empresas que por questões técnicas não concluírem o fechamento da folha de pagamento no Sistema de Escrituração Digital das......
eSocial: Exigência de CPF para todos os dependentes do IR.17/05/18 Foi publicada, no Diário oficial da União, a Instrução Normativa RFB nº 1.760, de 2017, que trata do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). Entendemos que haverá exigência de CPF para todos os dependentes, independente da idade. Mas por quê? Por que a......

Voltar para Notícias